quarta-feira, 2 de maio de 2012

Deixo chorar?

Antes tarde do que nunca, não é?! rsrs...
Eu sei que não estou tão presente quanto deveria mas eu sempre volto com uma postagem, mais hora, menos hora...

A de hoje é um texto bem simples mas muito legal pra refletir!

Há alguns dias eu estava com o Bruno na casa de minha sogra e ela e mais uma tia da família me "pegaram pra Cristo" com aquele questionário básico: "Você nunca deixa ele chorar???"
Pois é... eu muito raramente deixo o Bruno chorar e quando o faço jamais o deixo sozinho, fico por perto, explicando que estou terminando de fazer algo e que já o pegarei.
Não sinto que seja necessário deixa-lo chorando sozinho em um lugar enquanto me dedico aos afazeres da casa ou à continuar mexendo no computador... enfim... não foi pra isso que eu decidi ser mãe. Minha prioridade é ele, ué!

Aí li este texto que uma amiga compartilhou no Facebook hoje e percebi que é exatamente isso que me faz levantar, pegar meu bebê no colo e dar toda a atenção, carinho e colo que ele MERECE!

Pensem bem... acho que todo mundo vai repensar antes de acreditar simplesmente que o bebê precisa acostumar-se a ficar sozinho, a dormir sozinho, a brincar sozinho...
;)

Minha sogra tinha seus motivos para deixar seus filhos chorando, eu acredito, mas eu simplesmente não vou acatar esse jeito de criar porque "elas faziam assim"... que fique claro! hehe

Cansa, mas vale muito a pena!!!

Até breve!

 Texto de Luzinete Rocha Cruz de Carvalho  

"Como você se sentiria se quisesse conversar com seu marido sobre algo que fosse importante para você, e ele muito cansado de um dia inteiro de trabalho passasse direto por você e fosse olhar os armários da cozinha, depois o guarda-roupas, depois a sapateira, colocasse a mão na sua testa e dissesse para si mesmo:

- Hummm... Os armários estão cheios de comida, o guarda-roupas cheio de roupas lindas, tem sapatos novos na sapateira, ela não está com febre, minha esposa está limpa, bem alimentada, bem vestida, não está com frio nem fome, portanto não há mais nada que ela possa querer ou precisar! Eu a amo muito, mas creio que ela está mal acostumada, vou deixá-la alí falando sozinha, que quando ela se cansar ela dormirá tranquila, pois nada lhe falta..."

Se você como uma mulher adulta, capaz de compreender muitas coisas, não tem apenas necessidades físicas, pq pensar que um bebê recém chegado a este mundo só chora quando está com frio, calor ou fome??

Se você, que é adulta quer ser ouvida, beijada, abraçada e acarinha da, se você que é adulta quer sentir que te amam não apenas cuidando de suas necessidades físicas, quer se sentir segura e amada através do contato e da presença de um marido carinhoso, como pensar que um bebê não precisa (muito mais) da presença física e do contato com sua mãe??

Se você que é adulta precisa de presença, carinho e contato para estar feliz, como achar que um bebê também não precisa?

Se você que é adulta não quer "marcar hora" para receber carinho e atenção, como achar que um bebê merece ter isso de forma restrita e limitada?

Coloque-se no lugar do seu filho por um único instante, e por favor: vá pegá-lo no colo, embalá-lo, niná-lo, dê-lhe o peito, e mostre que você o ama da ÚNICA forma que ele é capaz de compreender agora: com sua presença física!"

2 comentários:

  1. Aninha, leia este texto tenho CERTEZA que vc irá encontrar boas justificativas para vc não ignorar as lagrimas do bruninho =)

    http://solucoes.multiply.com/journal/item/33/33

    ResponderExcluir