domingo, 16 de janeiro de 2011

Ser Paterno

A postagem de hoje foi extraída do Blog do Felipe Cainelli, pai do Tito. Achei muito legal a iniciativa dele de criar um blog com a visão do PAI.  O blog tá cheio de coisas interessantes e eu colei abaixo a primeira postagem dele, logo que o Tito nasceu. Tive o prazer de conhecer essa família linda no pós-parto imediato. Foi um contato pequeno mas suficiente para eu criar uma grande admiração!

Pra quem quiser fuçar e aproveitar das dicas dele, aqui segue o link: http://serpaterno.blogspot.com

Os 10 primeiros dias
Há algum tempo estou para escrever nesse blog. A idéia do Ser Paterno surgiu quando a Nanã (esposa) estava com mais ou menos cinco meses da gravidez do Tito, e o intuito era basicamente discutir como os pais podem contribuir para uma maternidade mais ativa e consciente das mamães.

Sinceramente, a empolgação mesmo para criar o blog veio após um dos encontros que ocorrem às quintas-feiras no GAMA (Grupo de Apoio à Maternidade Ativa), na Vila Madalena, no qual uma grávida disse com os olhos enchendo de lágrimas que gostaria muito de realizar o parto do seu bebê em casa, mas que seu esposo não compartilhava o mesmo interesse e dizia nem querer discutir sobre o assunto.

Nós temos que discutir o assunto! O parto é um ato simbólico que representa muito para as mulheres, e nós, homens, temos que ao menos ter sensibilidade para ouvi-las e discutir as suas escolhas e os benefícios e os eventuais riscos que cada uma pode trazer.

O nome foi intuitivo e nem cogitei algum outro. A Nanã se empolgou. Alguns dias passaram... e eu nada escrevi. Empolgação para criar o blog eu tive, mas faltava inspiração para mantê-lo ativo.

Resolvi esperar a chegada do Tito para estrear em definitivo com chave de ouro no dia de seu nascimento! Mas o trabalho de parto foi tão intenso, extenso e exaustivo para nós três que fui consumido pela paternidade nos primeiros dias de vida dele e o blog mais uma vez sumiu da minha cabeça...

Sem clichês nem nada, achei que hoje seria um bom dia. 12 de outubro, dia das crianças, 10 dias de vida do nosso Tito... enfim, eu tenho coisas a dizer e quero compartilhá-las por aí.

Inicio meus relatos sobre o mundo paterno dizendo como foram esses 10 primeiros dias de vida de meu filho, o que eu aprendi, o que senti, o que percebo que está dando certo e quais dúvidas ainda tenho. Por conta disso, a escrita desse primeiro texto será mais direcionada para os pais, assim como eu, de primeira viagem, ou para aquele que pensa em ter filho.


1
Não importa o que você pensava a respeito da paternidade antes de se tornar pai. A realidade chega de solavanco assim que você pega seu bebê no colo, e é milhões de vezes mais legal, gostoso e maravilhoso que você jamais podia imaginar.
2
Mantenha a calma quando seu bebê estiver chorando e procure consolá-lo. Se você se desesperar porque seu bebê chora, imagine o quão pior o cenário poderá ficar. Otimismo e paciência contam muito.
3
Não fique feito barata tonta procurando o que fazer a todo momento e nem relaxe demais quando tudo estiver sob controle e o bebê estiver calmo e tranqüilo. Pergunte à sua companheira o que ela gostaria que você fizesse ou se você pode ajudar em alguma coisa a mais. Ao fazer isso, passei a receber sorrisos e olhares de gratidão nunca antes visto em minha esposa.
4
Eu achava (de verdade) que o cheirinho de bebês tal como conhecemos foi inventado pela indústria de cosméticos até que eu cheirei a cabeça do meu filho sem ele ter tomado banho ou passado qualquer tipo de produto. É um cheiro delicioso, único e viciante. (e é natural!)
5
Esqueça as dores nas costas.
6
Não se frustre ao tentar fazer seu bebê sorrir e não ser correspondido. Ele tem o tempo dele.
7
Procure seriamente descobrir algo que acalme seu bebê e faça disso uma “válvula de escape” para situações de choro desesperador. Eu descobri que o nosso recém-nascido adora ficar no sling e também ouvir uma música específica enquanto eu danço de leve com ele no colo. Ter descoberto isso logo nos primeiros dias tem ajudado bastante.
8
As pessoas irão dar palpites sobre o que você deveria ou não fazer com o seu bebê. Às vezes eles falarão coisas que fazem sentido, noutras, dirão apenas o que é senso comum porque “todo mundo faz assim”. Para os casos em que você não concorda com as dicas, aprenda a nobre arte de abstrair.
9
Eu nunca sei se estou passando pomada demais ou de menos no bumbum dele nas trocas de fraldas, quando foi a última vez que passei, se faz mal passar toda vez, se é melhor deixar a pele secar ao ar livre e só depois vestir. Aceito sugestões.
10
Por que ele teima em fazer xixi em quase todas as trocas de fralda?

--------
P.S. 1: a música com a qual o Tito se acalma é Sunday Smile, do Beirut
P.S. 2: toda terça-feira terá atualização do blog! Acompanhe.

Nenhum comentário:

Postar um comentário